288- Consultoria em Bioética e fita de Möbius

moebius_escher_anim

kleinO alemão August Ferdinand Möbius (1790-1868) descobriu a fita torcida que leva o seu nome. O holandês Maurits Cornelis Escher (1898- 1972) desenhou umas formigas que andam ora no lado externo e ora no interno da fita sem atravessar os furos ou transpor a borda, e assim permitiu uma melhor compreensão da chamada topologia (estudo da geometria qualitativa).

 Na verdade, a fita de Möbius é uma superfície onde não se pode definir lado de dentro e de fora,  tudo se passa como uma curva fechada de um só lado e única borda.

Escolha uma formiguinha e siga-a. Após comprovar a magia da fita de Möbius, imagine que você passe a ocupar o lugar da formiga, habilitado na missão de consultor de Bioética, instado a contribuir para resolver um conflito da beira do leito, transitando por recombinações infinitas de argumentações em torno de insatisfações, incompreensões e não consentimentos.

No contexto da consultoria de Bioética como espelho da moral e da liberdade para reflexão das partes contenciosas, a fita de Möbius simboliza um meio justo -porque possibilita cruzar por internos e externos de cada lado em conflito- para se atingir um fim “humano” na resolução do conflito.

O circuito representa, ademais, que repassar em “carrossel oblíquo e mutante” faz  aproximar tanto da noção             “externa” do outro que cada parte capta, quanto da introjeção do outro em si, essenciais para compreender razões e vontades em oposição.

Pela imparcialidade, pelo compromisso de frequentar igualmente os dois lados sucessivamente, o consultor de Bioética sabe que precisa transitar continuadamente pelos argumentos de ambos. sem um gabarito “correto” de juízo de valor.

Idealmente, este pingue-pongue deve acontecer com fluidez de passagens de um lado para o outro, superando quaisquer redes divisórias, desta maneira objetivando atingir a essência do conflito, o que está por dentro e o que está por fora, não necessariamente superponíveis, absorver os aspectos morais, éticos e legais envolvidos, analisar, selecionar e estruturar possibilidades conciliatórias/resolutivas aplicáveis, distinguir eficiências presumidas e estimular a construção da comunicação entre os lados, ao redor dos prós e dos contras previstos para cada parte.

A mobilidade figurada pela fita de Möbius facilita ao consultor de Bioética promover no ambiente conflituoso uma sensação de sintonia bilateral na condução das dissonâncias dos processos de uma tomada de decisão na beira do leito. A ilustração ajuda as partes perceberem que o consultor de Bioética  “frequenta” os pontos de vista de cada lado, em ausência de pré-conceitos tendenciosos, afastado de um ideal mentalizado de tomada de decisão.

O rótulo de sucesso na resolução de conflito na beira do leito apoiado por esta idealização de movimentação fluente de consultoria de Bioética, qualquer que seja o teor da decisão, precisa conter a reafirmação da liberdade/responsabilidade na beira do leito que respeite tanto o conjunto de é vedado ao médico do Código de Ética Médica vigente, quanto aos limites do risco iminente de vida do paciente.

A fita de Möbius presta-se, outrossim, para dar visão à sucessão de pensamentos de uma análise principialista da Bioética. É do cotidiano que, em busca da resolução, “percorra-se” ora a Beneficência (exterior), ora a Autonomia (interior), a fim de colher elementos para sustentar uma decisão de hierarquizar um dos dois princípios na circunstância da contraposição entre ambos. Mas, é assunto para outro dia.

Simples assim, porém a fim do complexo!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *