Enquete 516- Cooperar para a morte pode ser ético?

Médicos devem cumprir o princípio da Não maleficência, eles não devem fazer mal ao paciente. A modernidade dos métodos diagnósticos e terapêuticos trouxe ajustes na interpretação, haja vista que adversidades acontecem com mais frequência como realização de riscos que valiam a pena pelos benefícios e que foram alvo de consentimento pelo paciente. Muitas adversidades fatais não caracterizam falta ética do médico.

A recente apreciação brasileira sobre ortotanásia trouxe alívio na apreciação sobre prudência e zelo. Outros dois aspectos ligados à morte têm suscitado polêmicas sobre a conduta ética de médico envolvido, não cabem no Brasil mas  são de interesse da Bioética. Trata-se da objeção de consciência por entender fazer um dano para cooperar em atos de suicídio assistido e na execução de pena de morte.

Na sua opinião, é conceitualmente ético o médico cooperar em atos de suicídio assistido em execução de pena de morte

Visualizar Resultados

Carregando ... Carregando ...