361- A verdade nada mais que a verdade

É interessante. Médico não deve mentir, médico não pode falar verdades que constituam quebra de sigilo profissional. Nem Pinóquio, nem tagarela.

Médico fica na dúvida se deve mentir quando é alertado que o paciente não suportará a verdade. Médico fala verdades de natureza técnico-científicas sem ter certeza de sua manutenção num curto prazo. Médico mente quando se diz inatingido por palavras hostis e ingratas de pacientes. Médico fala a verdade quando reclama de condições de trabalho, mas mente para si próprio que vão reivindicar melhorias. Médicos dizem a verdade quando criticam o sistema de saúde, mas mentem quando dizem que gostaria de ter seguido outra profissão. Mentir pressupõe conhecer a verdade, caso contrário pode representar tão-somente um equívoco de informação destituído de má-fé.

O médico trabalha comumente com hipótese diagnósticas. Elas são verdadeiras desde que criteriosas, uma delas alcançará a condição de verdade e as demais não serão mentiras, nem mesmo enganos, mas descartes de verdades momentâneas.

A admissibilidade de verossímil por não rejeição apriorística de verdadeiro é ponto crucial no desenvolvimento do raciocínio clínico do médico que seleciona diagnósticos plausíveis de representar dados e fatos do paciente. Não considerar verdades admite interpretações de imprudência e assumir mentiras por verdades admite a negligência.

Verdades de composição do diagnóstico não necessariamente impõem verdades de eficácia do tratamento validado.   Verdades de orientação preventiva não garantem verdades de evitação do risco tornar-se realidade.

Reconhecer a verdade de si como agente da Medicina e do paciente como sujeito da aplicação que cabe aqui e agora por critérios que a afasta da mentira mas nem sempre com a chancela de certeza de verdadeiro e deste modo pautar estratégias éticas para atender às necessidades de saúde do paciente constitui forte alicerce da Medicina baseada em excelência. Aquela que expressa o constante no Princípio fundamental V- Compete ao médico aprimorar continuamente seus conhecimentos e usar o melhor do progresso científico em benefício do paciente. O melhor da verdade como caminho do compromisso com a prudência e sua perspectiva do futuro e com o zelo e sua perspectiva do presente.