Enquete 432- UTI e insatisfação da enfermagem

Artigo recente http://acc.aacnjournals.org/content/27/4/462.short  de autoria de uma enfermeira da John Hopkins University e de outra da University of California informa que cresce o nível de insatisfação profissional do(a) enfermeiro(a) que atua em unidades de terapia intensiva.

Exaustão, entorpecimento, desalento associam-se a uma atividade no “piloto automático”. Há mais casos de burnout e menos intenção de honrar o profissionalismo com desconexão da missão de aliviar sofrimento. A expansão da tecnologia tem provocado um afastamento da atenção à pessoa do paciente, em número crescente e cada vez mais submetido a condutas de resultados incertos.

Na sua opinião, insatisfação profissional do enfermeiro(a) pode prejudicar a qualidade do atendimento ao paciente?

Carregando ... Carregando ...