184- Vulnerabilidade, fragilidade e superproteção

DecisãoÉ compromisso ético do ser médico proteger interesses do paciente no âmbito da saúde, a quem deve acolher como um cidadão vulnerável, quer no conceito de permanente pela simples condição de um ser humano, quer no de circunstancial ante suas peculiares relações de vida.

O médico deseja o bem do paciente. É hipocrático!  O que significa pretender o alcance de benefícios e o afastamento de malefícios no exercício da Medicina.

Na prática assistencial, resultam aplicações e/ou evitações do uso de métodos disponíveis, guiadas e ajustadas por incessantes reavaliações da relação utilidade técnica conceitual- segurança biológica individual.

Ponto de interesse da Bioética da Beira do leito é o grau de proteção à pessoa do paciente que o médico entende que é justificável aplicar quando coloca a objetividade das evidências científicas com potencial resolutivo para o caso em plano inferior ao da subjetividade sobre resultados negativos possíveis e, em decorrência, reprove a segurança de alguma conduta cogitável e, até, a rotule como proibitiva. Continue lendo