142- O Sim transgressor à Ética

Sim-ou-naoSim-ou-naoAo final de uma Mesa Redonda, o coordenador deu 1 minuto de palavra aos palestrantes. A platéia era predominantemente jovem, de modo que disse o seguinte: “… não faça concessões profissionais para não ficar refém delas para sempre…”.

Quem lida com infrações ao Código de Ética Médica conhece bem, tem na memória vários exemplos. Noviciado, ingenuidade, vontade de “incluir-se na turma”, sentimento de dó superpõem-se na dificuldade de dizer um não que desagrada, ou na esperteza de um sim com vistas a um ganho secundário.

A sinceridade é questão de dignidade para o médico.  Digno na acepção de consistente em lutar por um fim superior. O que nos remete ao valor dos Princípios Fundamentais expressos no Código de Ética Médica vigente. Continue lendo