60-Bioeticista, uma especialidade?

interrog   O Conselho Federal de Medicina reconhece 53 especialidades médicas e 54 áreas de atuação http://www.portalmedico.org.br/resolucoes/CFM/2012/2005_2012.pdf.  A Bioética não é nem especialidade médica nem área de atuação reconhecidas.

A Bioética permeia todas elas e compartinha interesse interdisciplinar  com  profissionais que cotidianamente labutam com cuidados com a saúde ou com outras atividades como advogado, sacerdote e filósofo.  A troca de conhecimentos e o compartilhamento de métodos sustentam diálogos eficientes. A Bioética contibui para a redução de monólogos justapostos que prejudicam a visão holística.

É a bioética de todos nós, cada ato no cuidado com a saúde precisa incluir uma expressão da Bioética pelo próprio efetor, sem, necessariamente a presença física de um consultor em Bioética, o aprendizado é comumente suficiente. Situações conflituosas correspondem àquelas que deram expansão à Bioética e que podem se beneficiar de um olhar mais especializado e treinado.

Há controvérsia internacional sobre  a conveniência da  denominação  bioeticista  e em caso positivo quem ele é, o que ele faz, se é especialista e que responsabilidades deve assumir.

Há 2 marcos que devem ser destacados nesta intenção de profissionalismo, o primeiro há cerca de 15 anos e o segundo recente.

Em 1999, o Canadian Bioethics Society  criou um grupo de trabalho  para desenvolver uma  minuta  sobre um código de ética de bioeticidas que  incluiu:

1-      Atuação com profissionalismo

2-      Consciência dos limites da expertise

3-      Preservação do sigilo

4-      Evitação de conflitos de interesse

5-      Evitação de abuso de poder

6-      Contribuição para o desenvolvimento do campo de atuação

7-      Atualização  do conhecimento em bioética

8-      Preservação da reputação

9-      Atenção com condições de trabalho

10-    Apoio a outros bioeticistas

Em 2014, a American Society for Bioethics and Humanities sinalizou para a profissionalização, elaborando um código para ser seguido por consultores em Bioética para assuntos clínicos.  São 7 títulos a serem cumpridos: http://www.asbh.org/uploads/files/pubs/pdfs/asbh_code_of_ethics.pdf

1-                          SEJA COMPETENTE: Tenha o objetivo da educação e do treinamento continuados para desenvolver o seu profissionalismo.

2-                          SEJA ÍNTEGRO: Esforce-se para atuar segundo valores e crenças que  promova a confiança das pessoas  intervenientes nas  questões que lhe são apresentadas. Autoconhecimento, senso de justiça, espírito facilitador, humildade, clareza e coragem moral devem sustentar atitudes e comportamentos.

3-                          SEJA SINCERO ACERCA DE CONFLITOS DE INTERESSE: Analise se a situação em questão associa-se a potencial de influência de interesses pessoais,  relações profissionais ou aspectos financeiros na isenção do seu  julgamento.  Evite engagar-se em atividades e em obrigações que possam acarretar potencial de conflitos de interesse de impacto sobre sua consultoria ética na instituição de cuidados com a saúde.

4-                          SEJA RESPEITOSO À PRIVACIDADE E GUARDIÃO DO SIGILO:  Eventualmente, necessidades legais e de proteção que requeiram o compartilhamento de informação devem ser feitas com o mínimo possível de informação. Fins didáticos e melhoria da qualidade  justificam a apresentação de dados ou fatos  com remoção de identidades.

5-                          SEJA PRÓ-ATIVO PARA A QUALIDADE E PARA A EFICÁCIA:  Contribua para o desenvolvimento da pesquisa no tema, faça publicações, ensine, alcance a comunidade, participe de organizações, quer em nível institucional, regional, nacional ou internacional.

6-                          SEJA RESPONSÁVEL NA COMUNICAÇÃO SOBRE O TEMA:  Faça comunicações dentro das normas e das obrigações da atividade com humildade cultural e sensibilidade e que motivem reflexões sobre distintos pontos de vista. A carência de conhecimento  em determinada área  ou a apreciação da reprercussão deve desestimular comentários e considerações públicas.

7-                          SEJA PROMOTOR DO CUIDADO COM A SÁUDE: Atue para que a promoção da ética reduza disparidades, discriminações e inadequações nos cuidados com  a saúde.  Esteja atento a situações onde poder, privilégio e cultura organizacional possam comprometer as boas práticas. Dê voz a  pessoas que possam estar sendo constrangidas.

Ocorrendo o processo de profissionalização, algumas questões necessitarão de respostas ajustadas a cada ambiente de atuação. Elas incluem: a) Como os 7 títulos acima  serão interpretados? b) Quem dará poder? c) Como serão  treinamento e acompanhamento? d) Como será a geração e a utilização de recursos?