CBio10-O médico e a educação continuada

AntonioNeto

Dr.Antonio Mendes Neto

Ao longo de mais de trinta anos de formado e tendo contato com vários colegas ao longo desta jornada, utiizando o espirito de observação que, de certa forma, somos treinados a ter, pude constatar que quando se trata de adquirir, reciclar ou mesmo revisitar conhecimentos, os médicos podem se dividir nas seguintes categorias:

1)     Conservador: Colega que carrega consigo os conhecimentos adquiridos durante sua graduação ou pós- graduação. Ele se encontra numa zona de conforto  e não tem nenhum interesse em praticar um tipo de mudança: “aprendi assim, faço sempre assim e dá certo”. Em geral, ele não vai a congressos, simpósios ou outra modalidade de atividade cientifica;

2)    Acomodado: Colega que gosta da informação  que o propagandista da indústria farmacêutica traz ou que recolhe em revistas leigas. Ele acredita que isto basta para manter-se atualizado. E’ avesso aos eventos médicos, acredita que é perda de tempo, “as coisas não mudam tanto assim”.

3)    Predisposto:

a.     Colega de fácil convencimento:  Ele vai aos eventos médicos das sociedades, da indústria e absorve tudo como verdade. Ele dá  pouco valor ao conhecimento adquirido pela prática diária, prefere a experiência de terceiros, pois estes são  “os professores“.

b.     Cético:  Ele vai a todo tipo de evento,  mas não acredita em quase nada. O que vale mesmo é sua experiência diária. Ele só incorpora os avanços da Medicina quando plena e inequivocamente comprovados.

c.      Autodidata: Ele vai a todo o tipo de evento, busca conhecimento em revistas médicas de destaque, analisa, compara novos conceitos com a experiência pessoal e só aplica se estiver plenamente convencido de sua validade.

4)    Carreira educacional: Ele avança no conhecimento com cursos de mestrado e de doutorado. Em geral, ele segue a carreira de professor universitário.