HM11-Como é mesmo?

letrasDizem que o  tempo disponível para alguém fazer a redação de um texto influencia a sua qualidade. É uma meia-verdade. A outra metade, relacionada ao talento, à educação e ao hábito, Blaise Pascal (1623-1662) ironizou: “… Eu escrevi esta carta longa porque não tive tempo de fazê-la mais curta…”.

Uma anamnese traz o jeito com que o paciente se expressa e o jeito com que o médico anota.   Revisões não costumam acontecer para dar melhor  sentido à reunião rápida de palavras. Como o tempo é escasso, que, pelo menos se faça a tecla da vírgula numa cor chamativa, seria de grande valor.

Há  alguns anos um médico americano publicou pérolas de escrita em prontuário do paciente. Passo algumas delas ao bioamigo numa tradução livre, que nem sempre permite expressar peculiaridades linguísticas, mas que, creio, não trouxe prejuízo para a apreciação.  O original pode ser lido em   http://emilville.com/medical.html

1.       Quando foi  internado, o seu coração rápido  havia parado e ele se sentia melhor.

2.       O paciente sente dor no peito se virar para o lado esquerdo por quase um ano.

3.       O paciente refere que sente uma queimação no penis que vai até o pé.

4.       No segundo dia o joelho estava melhor e no terceiro dia tinha desaparecido completamente.

5.       A paciente não teve calafrios, mas o marido afirma que ela estava muito quente na cama na noite passada.

6.       A paciente está depressiva desde que começou a se consultar comigo  em 1983.

7.        O paciente está choroso e gritando constantemente. Ele parece também estar deprimido.

8.       Paciente com 69 anos aparentando má sáude, mentalmente alerta mas desmemoriado.

9.       O paciente recusou uma autópsia.

10.   O paciente não tem passado de suicídio.

11.   O paciente faleceu de modo corriqueiro.

12.   Paciente deixou seus glóbulos brancos em outro hospital.

13.   História pregressa irrelevante, apenas ganho de 20 Kg nos últimos 3 anos.

14.   Ele escorregou no gelo e suas pernas aparentemente não seguiram na mesma direção.

15.   O paciente teve alta melhor, exceto em relação às queixas da internação.

 

 

 

31-O Juramento de Hipócrates e a Bioética

HIPOCRATICoATH

Hipócrates

vanRPotter

van Rensselaer Potter

Final de ano após final de ano, sextanistas festejam-se médicos declamando o Juramento de Hipócrates.  Professores honrados, familiares emocionados e amigos orgulhosos testemunham jovens idealistas, virtualidade de mãos sobre a Biblia, virtude na fidelidade à verdade da beira do leito, expressarem a tradicional maneira simbólica de compromisso com as boas práticas.

Palco e platéia incorporam o juramento a sua maneira. Muito breve, o recém-formado estará plenamente convencido do sentido metafórico da promessa evocada aos divinos Asclépio, Higeia e Panacéia. Asclépio deve ser entendido como a habilidade para aplicar o acervo da Medicina, Higeia refere-se à saúde pública e bem-estar social e Panacéia  é remédio em sentido geral. Não faltarão fascínios e cantos de sereia para desafiar a memória às promessas solenes.

A cobrança do “estado permanente de juramento” tem fatura original emitida numa pequena ilha grega chamada Kós com cerca de 300 Km2 de superfície e pouco mais de 110 Km de costa no mar Egeu. O impacto dela emanado  resultou consistente com o significado do nome do ilhéu famoso: força (kratos) de um cavalo (hippos). Continue lendo