23-O dito e o não dito do que poderá ser lido na bula

Aspecto capital na prevenção de dano psicológico iatrogênico é o da conscientização do valor de ajustar e reajustar o foco da tomada de decisão ao longo da sua execução firmemente apoiado no conceito que mente e corpo não devem ser dissociados na atenção integral à Saúde.

O artigo 34 do nosso Código de Ética Médica vigente- É vedado ao médico  deixar de informar ao paciente o diagnóstico, o prognóstico, os riscos e os objetivos do tratamento, salvo quando a comunicação direta possa lhe provocar dano, devendo, nesse caso, fazer a comunicação a seu representante legal.http://portal.cfm.org.br/index.php?option=com_content&view=article&id=20660:codigo-de-etica-medica-res-19312009-capitulo-v-relacao-com-pacientes-e-familiares&catid=9:codigo-de-etica-medica-atual&Itemid=122 merece reflexões para que haja o cumprimento não somente respeitoso ao conhecimento científico no entorno da doença, como também sensível ao mundo real do ser humano no convívio com a doença. Assim, o campo da comunicação sobre o geral de validade universal e o campo da comunicação no detalhe da individualidade pessoal precisam ser comparativamente analisados. O teor da comunicação é influenciado não somente pela disposição para assumir o comportamento, como também pela habilidade de julgamento da circunstância. Falar poderá provocar um imediato dano psicológico e não falar poderá   causar um dano físico depois pelo desconhecimento de cautelas e/ou de providências de notificação. Continue lendo